Categorias
Curiosidades

A PALETA CROMÁTICA EM CLIPES MUSICAIS

Não é nenhuma novidade por aqui falarmos sobre como as cores e suas percepções são responsáveis por diversos estímulos conscientes e inconscientes em nossa relação psíquico espacial. Elas podem influenciar e despertar sensações nas pessoas que as observam. Podemos associar determinadas cores a sentimentos por conta de símbolos culturais e experiências vividas – por exemplo, geralmente percebemos o azul como tranquilidade e assuntos relacionados a limpeza, talvez pela sua presença na maioria dos produtos desse seguimento.

Quando brincamos com o uso da paleta cromática em projetos audiovisuais conseguimos levar o telespectador para uma viagem que estimula a sua visão e a sua audição de uma forma instigante e, muitas vezes, prazerosa. Claro que tudo depende da intenção da direção de arte responsável pela obra.

Nesse post foram separados alguns clipes que exemplificam muito bem o quão enriquecedor um projeto visual se torna quando usam e abusam das cores durante as filmagens.

P!NK – BEAUTIFUL TRAUMA

O single que deu origem ao nome do seu sétimo álbum de estúdio – Beautiful Trauma – conta, de forma bem humorada, uma história de amor vivida entre sorrisos e lágrimas, contextualizada em uma atmosfera da década de 50, cujo cenário e os figurinos reforçam ainda mais a ideia desse período.

Imagem: Reprodução / Site Dripbook
Imagem: Reprodução / Site Dripbook
Imagem: Reprodução / Site Dripbook

É nítida a brincadeira com a paleta de cores e a iluminação. Marcam muito bem a monocromia dos ambientes, abusam dos tons saturados e em outros momentos utilizam os tons de forma apastelada. Repare que até a metade do vídeo vestido da cantora P!nk é o mesmo, e vai se adaptando a coloração de cada cena. Boa parte da canção se passa em cores quentes (rosa, amarelo), mas quando o refrão chega tudo muda, partindo para cores frias (verde, azul), enfatizando cada vez mais que esse relacionamento cheio de altos e baixos nada mais é do que um “lindo trauma.”

DUA LIPA – PHYSICAL

Dua Lipa se inspirou na década de 80, e no ano de 2020 entregou um projeto audiovisual muito bem construído e coeso da primeira a última faixa. Esse é o seu segundo álbum de estúdio intitulado: Future Nostalgia e já é considerado como um marco na história da música pop.

Imagem: Repreodução / Pixie Levinson, Cecilia Duarte & Francesc Pascual
Imagem: Repreodução / Pixie Levinson, Cecilia Duarte & Francesc Pascual

O single Physical também fala de amor, mas dessa vez sem traumas, a química é perfeita, ela só precisa que isso se torne físico. Se tudo está acontecendo como deveria, as cores também se comportam em harmonia. Novamente a direção de arte utiliza a monocromia, cada cena é filmada utilizando uma cor de destaque.

Quando nos aproximamos do final da música, todas as cores dançam juntas, representadas nas roupas dos dançarinos, enquanto isso, a cantora está no centro, utilizando um look que representa a reação física quando se mistura todas as cores: o preto.

rosalía – juro que

Rosalía se tornou um fenômeno da música latina, foi a primeira e única artista com um álbum totalmente em espanhol a entrar na categoria geral de Melhor Artista Revelação da premiação Grammy Awards 2020.

Em seu trabalho Juro Que, música lançada em em janeiro de 2020, a cantora expressa seu amor por um homem que está atrás das grades há 400 dias, mas promete que vai esperá-lo quanto tempo for preciso.

Imagem: Reprodução / Divulgação
Imagem: Reprodução / Divulgação

O contraste da realidades do casal é reforçado pelo contraste das cores. Isso é perceptível logo na primeira cena, cujo cenário é composto de elementos em verde e em vermelho, sendo essa uma harmonia complementar no círculo cromático, ou seja, são opostas, apresentam o maior contraste visual entre si, assim como o laranja e o azul, o amarelo e violeta, entre outras combinações.

A predominância de tons quentes nas vestimentas da cantora demonstram seu otimismo, força e “vida”, mas ao mesmo tempo o medo e a insegurança. Enquanto as roupas e o cenários do seu namorado, representado pelo ator Omar Ayuso, seguem em tons frios e neutros, demonstrando sua racionalidade diante da situação, sua falta de esperança na vida e no amor.

Major lazer feat. Nyla & Fuse ODG – light it up

Major Lazer é um grupo de música eletrônica criado pelos produtores musicais Diplo e Switch, e são responsáveis por grandes hits como Lean On e Sua Cara, que conta com a participação de Anitta e Pabllo Vittar.

Em 2015 lançaram Light It Up, um single eletrônico com uma pitada de pop que chama qualquer um pra pista de dança. O clipe segue uma estética diferente e original, feito integralmente utilizando computação gráfica.

Imagem: Reprodução / Divulgação
Imagem: Reprodução / Divulgação

Além de explorarem diversas paletas cromáticas, a equipe também brinca com as mais variadas texturas possíveis, aplicadas em uma forma humana que executa coreografias complexas. O clipe traz uma experiência visual e quase que sensorial para quem assiste.

IZA – BRISA

A música Brisa da cantora carioca IZA segue com uma base de reggae e a produção decidiu incorporar essa característica abusando das cores típicas do gênero musical.

Apesar do estilo ter surgido na Jamaica, no final da década de 1960, as cores associadas ao estilo de música têm como origem as cores da antiga bandeira da Etiópia (substituída por volta de 1974), país em que o conhecido como “Ras Tafari” foi imperador.

Imagem: Reprodução / Divulgação

Algumas pesquisas dizem que as cores representadas na bandeira tem valores tanto materiais (físicos), quanto metafísicos (ou espirituais):

VERDE: Os campos férteis, fonte de prosperidade e a natureza em geral da África. / Esperança, pois esta cor está ligada, nas tradições esotéricas mais antigas, aos fenômenos de renovação.

AMARELO: Riqueza natural (ouro e minerais), como fonte de prosperidade. / Espiritualidade e amor, como elementos sociais de união entre os povos.

VERMELHO: O sangue que os mártires deram pelo próximo. / Fé, no sentido de persistência rumo a um objetivo. Poder, no sentido de capacidade de realização de metas, de transformar sonhos em realidades.

Imagem: Reprodução / Divulgação
LSD – Genius

Genius é o primeiro single de um projeto colaborativo chamado LSD, nome gerado a partir das iniciais de cada artista que inclui o músico inglês Labrinth, a cantora australiana Sia e o DJ e produtor americano Diplo.

Imagem: Reprodução / Divulgação
Imagem: Reprodução / Divulgação

Como o próprio nome do grupo sugere, no clipe de Genius embarcamos em uma experiência psicodélica, através de desenhos bizarros, de acontecimentos surrealistas e do uso das cores de forma saturada, o que resulta em combinações que causam certa estranheza. Essa atmosfera poder gerar desconforto e fascinação, dentre outras sensações que variam de pessoa para pessoa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.