Categorias
Arquitetura Curiosidades Decoração

AS CORES NA ARQUITETURA: AMARELO

Sendo a mais clara dentre as cores primárias, o amarelo é a cor da instabilidade, onde uma gota de qualquer outro pigmento já será o suficiente para alterar a sua tonalidade de forma perceptível. É a mais brilhante e energizante entre os tons quentes, transmitindo alegria e jovialidade.

A etimologia de seu nome é um tanto quanto incerta, mas acredita-se que seja uma derivação da palavra amarus, diminutivo de amargo em latim, devido ao gosto amargo do suco biliar [bile].

Sua aparição na natureza representa o amadurecimento, encontrado em frutos quando estão maduros, além da sua presença em diversas flores que despertam o interesse nos polinizadores. Com o seu comprimento de onda de característica chamativa alguns animais desenvolveram essa coloração, como rãs e cobras, avisando aos predadores que são peçonhentos. Também incorporamos a mesma “estratégia de comunicação” em nosso cotidiano, utilizando o amarelo em semáforos, avisos, placas sinalizadoras etc.

Grande chifre conta buceros bicomis enggang lume Foto Premium
Calau-Bicórnio [Buceros bicornis] – Habita a Ilha de Sumatra
Bali Arts Festival begins - in pictures - The National
Dançarinas no Festival de Artes de Bali [Indonésia] – Edição de 2018

Na psicologia, estimula a criatividade mais do que qualquer outra, representa o otimismo, a alegria, a inteligência, a maturidade, mas em contrapartida, também representa a advertência, o alerta, presente em avisos que sinalizam perigo de morte, ou nas placas de trânsito sobre atenção na pista. É claro que, tudo depende da forma que é utilizada, onde outros fatores externos e internos também ajudarão a construir essa atmosfera.

Quando se trata de arquitetura e decoração, precisamos lembrar das questões culturais e das intenções de quem projeta. Por ser uma cor quente, quando usada como ponto focal cromático pode aquecer o ambiente, além de trazer muita personalidade e até irreverência.

Carrer del Sol N°3 – Projeto por Kresings Arquitetura [Espanha / 2017]
Fotografia: Roman Mensing
Carrer del Sol N°3 – Projeto por Kresings Arquitetura [Espanha / 2017]
Fotografia: Roman Mensing
Apartamento Asia – Projeto por Mestisso [São Paulo – Brasil / 2013]
Fotografia: Ricardo Bassetti
Casa de Repouso Morangis – Projeto por VOUS ETES ICI Arquitetos [França / 2013]
Fotografia: 11H45
Espaço Mama Smile – Projeto por Emmanuelle Moureaux Architecture + Design [Mito – Japão / 2014]

Sua presença marcante quando utilizada de forma mais saturada não é, necessariamente, um defeito. Consigo traz uma identidade própria muito peculiar e, quando usada na medida certa, pode se tornar a alma do projeto, fazendo toda a diferença dentro do conceito proposto. Ela contrasta de maneira muito harmônica com o azul do céu e com o verde natural das paisagens.

Módulo Rebouças – Projeto por Dal Pian Arquitetos [São Paulo – Brasil / 2016]
Fotografia: Nelson Kon
Praça Bonfire – Projeto por MAT Office [ShenzhenChina / 2019]
Fotografia: Kangshuo Tang
Hub Créatic – Projeto por Tetrarc Architects [Nantes – França/ 2014]
Fotografia: Stéphane Chalmeau
Filarmônica de Berlim – Projeto por Hans Scharoun [Berlim – Alemanha / 1963]
Fotografia: Bahaa Ghoussainy
Casa Soul Garden – Projeto por Spacefiction Studio [Hyderabad – Índia/ 2019]
Fotografia: Monika Sathe Fotografia

Quando usada em projetos de interiores traz um ar de descontração e de jovialidade. A cor se comporta de maneira diferente quando aplicada em diversas superfícies como: no piso, na marcenaria, nos estofados, entre muitas outras opções.

Forro Metálico Metalscreen Plank Hook On | Hunter Douglas Brasil
Loja Vancanza Accessory – Projeto por 45tilt [Taipé – Taiwan / 2018]
Fotografia: Hey! Cheese
O Novo Centro Clignancourt – Projeto por gaëlle péneau architectes associés [França / 2013]
Fotografia: 11h45
Tetuan coliving – Projeto por ch+qs arquitectos [Madri – Espanha / 2019]
Fotografia: Imagen Subliminal

Não devemos esquecer que todas as cores possuem uma enorme gama de variações cromáticas e com o amarelo não seria diferente. Utilizando tonalidades mais escuras, mais claras, ou até mesmo apasteladas, é possível conseguir resultados incríveis, principalmente quando se explora as texturas de diferentes materiais como a madeira e os tijolos.

Casa Soul Garden – Projeto por Spacefiction Studio [Hyderabad – Índia/ 2019]
Fotografia: Monika Sathe Fotografia
Centro de Artes Buda – Projeto por 51N4E [Courtrai – Bélgica/ 2012]
Casa da Árvore – Projeto por Suite Arquitetos [Casa Cor São Paulo / 2018]
Fotografia: Ricardo Bassetti

Não se esqueça, esse post faz parte de uma série neste blog chamada: As Cores Na Arquitetura, onde além de informar, também é uma forma de nos expressarmos. Dizer a tod@s que somos uma empresa multicolorida, que acredita em todas as cores e em todas as formas de amor. Viva a diversidade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.