Categorias
Arquitetura Curiosidades Decoração

AS CORES NA ARQUITETURA: VERMELHO

Talvez, essa seja uma das cores mais complexas quando se fala em sua influência e a relação do que sentimos. Está presente há anos na história da humanidade, sendo utilizada desde a primeira “assinatura” do Homem: o sangue, carimbado em forma de mão nas cavernas pré-históricas.

A origem do seu nome vem do latim vermillus, cujo significa “pequeno verme”, remetendo à cochonilha, inseto do qual é extraído o corante carmim utilizado em tintas, cosméticos e como aditivo alimentar. Tem sua importância e uso em quase todos os períodos da história, indo desde a cor que representava a maldade e o Rei Set no antigo Egito, até a simbologia natalina em, praticamente, todo o mundo moderno.

Arte rupestre: o que é, quando, onde e por quem foi feita?
Exemplo de pintura rupestre [período neolítico]
The meaning behind Extinction Rebellion's red-robed protesters | Dazed
Movimento global Extinction Rebellion em prol da luta contra as alterações climáticas

Na psicologia, representa excitação, impulso e energia, assim como, a paixão, fogo, carne, mas em contrapartida, também representa a sensação de alerta, a guerra, o perigo, a violência. É claro que, tudo depende da forma que é utilizada, onde outros fatores externos e internos também ajudarão a construir essa atmosfera.

Quando se trata de arquitetura e decoração, precisamos lembrar das questões culturais e das intenções de quem projeta. Por ser uma cor quente, pode ser utilizado como ponto focal, “aquecendo” o ambiente, isso acontece em muitos projetos modernistas, onde além de ser uma das cores primárias (parte da característica do movimento), acaba contrastando com os materiais utilizados, geralmente o concreto armado, o aço e o vidro. Lina Bo Bardi e Oscar Niemeyer são dois grandes exemplos desse tipo de aplicação do vermelho.

Galeria de Pavilhão Color Trail / Faye + Walker - 1
Pavilhão Color Trail – Projeto de Faye + Walker [Austin – EUA / 2019]
Fotografia: Leonid Furmansky
PR9 Reforma do apartamento / La Troupe | ArchDaily Brasil
PR9 Reforma do apartamento – Projeto de La Troupe [Madrid – Espanha / 2019]
Fotografia: Jorge López Sacristán
Galeria de Residência FL / Berzero Jaros - 5
Residência FL – Projeto de Berzero Jaros [Córdoba – Argentina / 2017]
Fotografias: Frederico Cairoli

Sua presença marcante não é, necessariamente, um defeito. Consigo traz muita personalidade e, quando usada na medida certa, pode se tornar a alma do projeto, fazendo toda a diferença dentro do conceito proposto. Dessa vez, ela não é como um detalhe dentro do ambiente em si, mas é a protagonista, sendo usada como ponto focal diante da paisagem externa.

Red Barn | Roger Ferris + Partners
Celeiro Vermelho – Projeto por Roger Ferris + Partners [Westport – EUA / 2015]
Fotografia: Paúl Rivera
Casa Vermelha – Projeto por JVA Architects MNA [Oslo – Noruega]
Flex Vermelho,© santo eduardo di miceli
Flex Vermelho – Projeto por Cerejeira Fontes Arquitectos [Braga – Portugal / 2008]
Fotógrafo: Santo Eduardo di Miceli
Parque Red Ribbon / Turenscape | ArchDaily Brasil
Parque Red Ribbon – Projeto por Turenscape [Qinhuangdao – China / 2007]

Em ambientes externos, nós temos outras cores, texturas e elementos naturais que ajudam a compor a obra na paisagem, mas em ambientes internos devemos estudar melhor a sensação que espaço pode transmitir pelo uso da cor. O vermelho mais fechado, escuro, por exemplo, pode dar a sensação de seriedade, autoridade e respeito, enquanto um vermelho mais saturado pode ser agressivo aos olhos, chamando atenção para o “perigo”. Todas as cores possuem uma grande gama de tons, que podem e devem ser explorados para suavizar e equilibrar cada projeto.

Apartamento para um solteiro – Projeto por Gon Architects [Madri – Espanha / 2020]
Fotografia: Imagen Subliminal
Casa na Lapa – Projeto Por Brasil Arquitetura [São Paulo – Brasil / 2012]
Fotografia: Leonardo Finotti
Casa 239 – Projeto por UNA Arquitetos [São Paulo – Brasil / 2016]
Fotografia: Nelson Kon
Apartamento em Santa Cruz – Projeto por Bala atelier [Santa Cruz – Portugal / 2018]
Fotografias: Francisco Nogueira

Nos revestimentos, nos objetos, em elementos estruturais, nos móveis, nos detalhes, as possibilidades são infinitas, use onde puder, onde quiser. Não tenha medo de arriscar, deixe-se inspirar pelo vermelho e por todos os seus tons!

Não se esqueça, esse post faz parte de uma série neste blog chamada: As Cores Na Arquitetura, onde além de informar, também é uma forma de nos expressarmos. Dizer a tod@s que somos uma empresa multicolorida, que acredita em todas as cores e em todas as formas de amor. Viva a diversidade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.